Jornalismo de Verdade
Eleições 2020

Ameaçada de perder mandato, prefeita de São Raimundo Nonato briga com presidente da Câmara dos Vereadores

Conflito envolve disputa entre Progressistas, MDB e PT pela sucessão de Carmelita Castro

Jornalismo de Verdade

Jornalismo de VerdadeANDRÉ PESSOA Fotojornalista pernambucano especializado em reportagens ambientais. Tem trabalhos publicados em exposições, catálogos de arte, livros, emissoras de televisão, jornais, revistas e plataformas digitais no Brasil e no exterior. Já esteve documentando a natureza, a cultura e a história de países como a Polônia, Grécia, Costa Rica, Espanha, Holanda, França, México, Alemanha, África do Sul, Turquia, Egito, Panamá, República Tcheca, Bélgica, Jordânia, EUA, Cuba, Itália, entre outros.

07/05/2020 14h50
Por: André Pessoa
Fonte: André Pessoa
939
Carmelita Castro (Foto divulgação)
Carmelita Castro (Foto divulgação)

Além da crise na saúde com os reflexos da pandemia, o clima ficou ainda mais tenso hoje no município de São Raimundo Nonato (525 km de Teresina), depois que a prefeita Carmelita de Castro Silva (Progressistas), protagonizou uma discussão ríspida com o presidente da Câmara Municipal dos Vereadores, Eumadeus Pereira (PT), através da rádio Cultura FM.  Até de forasteiro o vereador foi chamado pela gestora que participou do programa através de ligação telefônica. 

Carmelita Castro terá julgamento decisivo na próxima segunda (11), em segunda instância, pelo Tribunal Regional Eleitoral do Piauí através de videoconferência. Todas as provas do processo levam a crer que a cassação do seu mandato ocorrida em 2019 seja mantida agora pelo colegiado. O placar do julgamento está 1x0 contra o grupo político de Castro e seu marido, deputado estadual Hélio Isaías (PP). Ao todo, são 6 votos. Em caso de empate o desembargador presidente do TRE-PI profere o voto decisivo, chamado de Voto de Minerva. O termo se refere ao episódio da mitologia grega em que a deusa Palas Atena (que corresponde à deusa romana Minerva) preside o julgamento de Orestes, um reles mortal.

No caso em apreciação pelos juízes e desembargadores do TRE-PI, no entanto, não se trata de julgamento de reles mortais. Ao contrário. Estamos falando da família Castro, um espécie de oligarguia das mais poderosas do Piauí contemporâneo. Estão sendo decididos o futuro político de um dos grupos mais fortes e influentes do interior do estado. Carmelita e Hélio representam os interesses do senador Ciro Nogueira, presidente nacional do PP e virtual candidato a governador em 2022 se não for barrado pela Justiça.

A briga entre Carmelita Castro e o parlamentar municipal Eumadeus Pereira tem um aspecto interessante. Caso seja efetivamente afastada da Prefeitura pelo TRE na próxima segunda-feira, quem vai assumir o município provisoriamente é o vereador que preside a Câmara Municipal. A Justiça Eleitoral deve determinar novas eleições, mas como em outubro, se a pandemia deixar, teremos as eleições municipais, é provável que ele fique no cargo até o pleito e até possa concorrer à reeleição. 

Dessa forma, já existe um clima de animosidade e disputa entre os três grupos políticos da situação representados pelo PP, PT e MDB que estão digladiando entre si. O próprio Partido dos Trabalhadores já afirmou que terá candidatos a prefeito no maior número possível de municípios piauienses. Assim, é natural imaginar que o governador Wellington Dias possa apoiar a candidatura de Emudadeus Pereira à reeleição, caso ele assuma a Prefeitura, em São Raimundo Nonato.

Mas isso criaria um conflito direto com o MDB que deseja, no mínimo, a cadeira de vice-prefeito. Aí entra a questão da cassação de Carmelita e Hélio Isaías, enfraquecendo a caminhada de Ciro rumo ao palácio de Karnak. Nesse enredo entra ainda o senador Marcelo Castro (MDB), líder máximo do partido no Piauí e que, provavelmente, será o candidato a governador apoiado por Wellington Dias.

Sessão virtual

A discussão entre Carmelita Castro e Eumadeus Pereira se deu poucas horas após a primeira sessão por vídeo-conferência da história da Câmara Municipal de Vereadores de São Raimundo Nonato ter sido iniciada.

Logo depois que um parlamentar pediu maior transparência na aplicação dos recursos destinados ao combate ao novo coronavírus, nada menos do que 8 vereadores da situação, pediram a suspensão da sessão, o que terminou acontecendo. 

Eumadeus Pereira então gravou uma entrevista para rádio FM Cultura e, de imediato, a prefeita Carmelita Castro também ligou para emissora e, segundo populares, a discussão levantou faísca.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.