Jornalismo de Verdade
Benefício Emergencia

Marginal causa terror no interior do Piauí e polícia não consegue capturar acusado de homicídio

Marco Antônio recebeu Benefício Emergencial de R$ 600 da Covid-19 e comprou pólvora e chumbo para arma de fogo

Jornalismo de Verdade

Jornalismo de VerdadeANDRÉ PESSOA Fotojornalista pernambucano especializado em reportagens ambientais. Tem trabalhos publicados em exposições, catálogos de arte, livros, emissoras de televisão, jornais, revistas e plataformas digitais no Brasil e no exterior. Já esteve documentando a natureza, a cultura e a história de países como a Polônia, Grécia, Costa Rica, Espanha, Holanda, França, México, Alemanha, África do Sul, Turquia, Egito, Panamá, República Tcheca, Bélgica, Jordânia, EUA, Cuba, Itália, entre outros.

02/05/2020 13h56
Por: André Pessoa
Fonte: André Pessoa
656
Acusado de tentativa de homicidio e promover terror na região
Acusado de tentativa de homicidio e promover terror na região

Como se não bastasse a pandemia do coronavírus levando o medo para a população do Piauí, no interior do estado marginais estão se aproveitando do período da quarentena para causar terror em pequenos vilarejos. Na zona rural da microrregião de São João do Piauí (425 km de Teresina), no interior do município de Ribeira do Piauí, povoado de Salinas, um desses meliantes conhecido como Marco Antônio, tem transformado a vida pacata da área rural numa verdadeira dor de cabeça para a população e as autoridades.

Marco Antônio é suspeito de uma tentativa de homicídio algumas semanas atrás, a vítima foi levada para o Hospital Regional Tibério Nunes, em Floriano e, após tratamento, teve alta. Felizmente o tiro, apesar de extremamente violento pois a bate bucha espalha chumbo por uma grande área, pegou na perna da vítima não causando maiores danos. 

Beneficiário do Bolsa Família, ele recebeu o pagamento de R$ 600 do Auxílio Emergencial destinado ao combate as dificuldades da pandemia da Covid-19 e comprou munição, pólvora e chumbo, para a sua espingarda bate-bucha. Além de dar tiros à esmo e ameaçar os moradores de Salinas, o acusado sempre consegue fugir das operações policiais.

O povoado de Salinas fica sob a jurisdição policial do município de Itaueiras, distante cerca de 50 quilômetros da delegacia mais próxima. Agentes da Polícia Civil e soldados da Polícia Militar já estiveram no povoado algumas vezes tentando capturar o suspeito, mas ele sempre consegue fugir. É conhecido como “bicho” do mato, conhece a Caatinga como poucos.

O acusado vive sozinho numa pequena casa na periferia do povoado de Salinas, mas ninguém consegue captura-lo. Como o lugarejo é muito pequeno, ele percebe a chegada da polícia e se embrenha no mato. Aparentemente será necessário uma ação de inteligência para fazer a sua captura.

Acusado de roubar esporadicamente criações (ovelhas, porcos, galinhas) dos moradores locais, ele não tem qualificação, trabalho ou função fixa. Passa o dia ameaçando os moradores e desferindo tiros com a sua espingarda ilegal.

A população acha que o caso chegou ao limite e que as autoridades precisam tomar alguma providência antes que algo mais sério venha a acontecer. A dificuldades dos moradores é prestar uma queixa formal na polícia tendo em vista a distância entre o povoado e a delegacia de polícia. Como se não bastasse as complicações da Covid-19, agora o Piauí convive também com um aparente psicopata que vive dando tiros e a polícia não consegue capturar.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.