Sábado, 21 de Maio de 2022
Dólar
R$ 4,88
Euro
R$ 5,15
Peso Arg.
R$ 0,04
Piauí Irregularidades

Tribunal de Contas do Estado fiscaliza e constata irregularidades em 30 hospitais do Piauí

Hospitais de Teresina e de municípios como Parnaíba, Esperantina, Barras, Piripiri, Campo Maior, Elesbão Veloso, Floriano, Oeiras, Picos, São Raimundo Nonato, Bom Jesus e Corrente passaram por vistoria.

13/05/2022 às 09h43
Por: Alírio Ribeiro Fonte: G1/PI
Compartilhe:
HRSCF
HRSCF

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) realizou, na quarta-feira (4), uma fiscalização ordenada em hospitais do estado. Durante a ação, foram identificadas falhas no controle de estoque de materiais e no registro de ponto de funcionários das unidades de saúde.

Ao todo, sete hospitais de Teresina e 23 de outros municípios foram avaliados. As unidades averiguadas foram das cidades de ParnaíbaLuzilândiaEsperantinaBarrasPiripiriCampo MaiorSão Miguel do TapuioElesbão VelosoValença do PiauíAmaranteFlorianoOeirasPicosSimplício MendesSão João do PiauíCanto do BuritiUruçuíSão Raimundo NonatoBom JesusCurimatá e Corrente foram avaliados.

Em Teresina, na Unidade de Saúde Integrada do bairro Mocambinho, por exemplo, foi constatado que o banheiro de urgência da unidade não possui lâmpada de energia elétrica e apenas o banheiro do setor ambulatório é acessível para pessoas com deficiência.

A ação comprovou que apenas 18 das 30 unidades de saúde avaliadas armazenam medicamentos e insumos em condições adequadas, que garantem segurança e integridade dos itens. Além disso, no momento da fiscalização, em 10 hospitais, o médico de plantão não estava presente.

Em entrevista à TV Clube, o secretário de controle externo do TCE-PI, Luís Batista, informou que a vistoria é feita a partir de questionários, que devem ser respondidos de forma online, com fotos e questionários, e disponibilizados à população no site do órgão.

 

TCE fiscaliza 30 hospitais do Piauí e constata irregularidades — Foto: Divulgação/TCE

TCE fiscaliza 30 hospitais do Piauí e constata irregularidades — Foto: Divulgação/TCE

“A fiscalização ordenada está na sua segunda edição, e quisemos aproveitar para fiscalizar o mesmo objeto de 2019, revisitar os 30 hospitais da rede estadual. O objetivo é trazer à população, em tempo real, aquilo que os auditores estão visualizando em campo”, comentou.

Conforme o secretário, a fiscalização permite avaliar a qualidade do gasto dos recursos em políticas e serviços públicos. Em caso de irregularidades, gestores responsáveis pelos hospitais são notificados para desenvolver soluções.

“Primeiro, é o próprio gestor tomar conhecimento das circunstâncias e poder adotar providências, a iniciativa de resolvê-las. As informações coletadas serão utilizadas pelo tribunal em outros relatórios, seja nas contas desses próprios hospitais, seja para realizar auditorias específicas nos pontos mais graves”, completou o secretário Luís Batista.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias