Prata da Casa
Covaxin

CPI acredita ter indícios de que autoridades sabiam de irregularidades em negociações

Senadores da CPI da Covid acreditam que podem obter, nos próximos dias, provas contundentes de que autoridades públicas sabiam das supostas irregularidades

23/06/2021 07h21
Por: Alírio Ribeiro
Fonte: G1
353
CPI da Covid
CPI da Covid

Senadores da CPI da Covid acreditam que podem obter, nos próximos dias, provas contundentes de que autoridades públicas sabiam das supostas irregularidades nas negociações envolvendo a compra da vacina Covaxin e não denunciaram, o que pode representar crime contra a administração.

A suspeita surgiu a partir de indícios e documentos obtidos pela comissão que detalham o interesse do governo em negociar a importação da vacina por meio da Precisa Medicamentos, representante no Brasil da empresa indiana Barath Biontech, desenvolvedora da vacina.

Pessoas que ocupam cargos públicos e servidores têm obrigação de denunciar irregularidades ao tomar conhecimento, sob pena de cometerem crime. A lei vale também para ocupantes de cargos públicos eleitos.

Segundo relatos obtidos pelo blog, a antecipação do depoimento de Luis Ricardo Miranda, chefe de importação do Departamento de Logística em Saúde do Ministério da Saúde, tem por objetivo obter mais informações.

Miranda irá como convidado. Além dele, há a expectativa de que informações serão levadas pelo irmão de Luis Ricardo, o deputado federal Luis Claudio Miranda (DEM-DF).

O deputado esteve com senadores da CPI e pediu para acompanhar o irmão e apresentar informações.

Já Luis Ricardo afirmou que recebeu pressões para favorecer a Precisa em depoimento ao Ministério Público no inquérito que apura a conduta do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello.

Para os senadores, outras autoridades podem ter tido conhecimento de fatos e não agiram para que fossem investigados.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.