Prata da Casa
Vacinação em massa

Imunizante reduziu a zero hospitalizações e mortes por covid entre idosos maiores de 70, segundo Butantan

A imunização em massa da população adulta no município de Serrana, interior paulista, comprovou a eficácia da Coronavac, segundo dados divulgados pelo Instituto Butantan.

02/06/2021 17h26
Por: Alírio Ribeiro
Fonte: O Estadão
402
Serrana -SP, vacinação em massa
Serrana -SP, vacinação em massa

A imunização em massa da população adulta no município de Serrana, interior paulista, comprovou a eficácia da Coronavac, segundo dados divulgados pelo Instituto Butantan. Resultados parciais do estudo mostraram redução de 95% no número de óbitos, 86% de internações e 80% em casos sintomáticos de Covid-19. Os dados preliminares foram apresentados nesta segunda-feira, 31.

A vacinação de Serrana também reduziu a zero as hospitalizações e mortes por covid entre idosos maiores de 70 anos. O estudo foi realizado pelo Butantan para verificar os efeitos da vacinação da população em geral, foram vacinados 27.160 mil habitantes acima de 18 anos. Entenda um pouco mais sobre o estudo:

Por que a cidade foi escolhida para o estudo?

 

Após um surto de covid-19, ainda em abril de 2020, o município de Serrana foi submetido a um inquérito epidemiológico em parceria com o Instituto Butantan, onde foi verificado altas taxas de infecção do vírus na população. Outro fator decisivo é que a cidade é relativamente pequena – 45.644 mil habitantes – e possui uma unidade do Estado, o Hospital Estadual de Serrana, que foi parceiro do estudo. Além disso, a localização de Serrana foi favorável para a pesquisa, por ser na região metropolitana de Ribeirão Preto, próxima da FMRP-USP, a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, centro de pesquisa que se tornou parceiro do estudo.

Como foi realizada a vacinação em massa?

A cidade foi dividida em quatro grupos populacionais, cada um vacinado alternadamente, um por semana. A vacinação em massa começou em 17 de fevereiro e foi concluída no dia 11 de abril com a aplicação das duas doses da Coronavac. Ao todo, foram 27.160 mil moradores completamente imunizados contra o novo coronavírus – o equivalente a 95,7% da população-alvo da pesquisa e aproximadamente 59,5% da população total de Serrana, de 45.644 mil habitantes. Veja mais sobre o estudo aqui.

Quais foram os resultados parciais apresentados?

De acordo com dados apresentados pelo diretor médico de pesquisa clínica do Butantan, Ricardo Palacios, na população geral, o número de casos sintomáticos caiu 80% e as internações foram reduzidas em cerca de 86%. Já o número de óbitos por conta da covid diminuiu em 95%. Esses índices comparam os números observados na semana anterior à conclusão da aplicação da segunda dose na cidade aos dados das semanas posteriores.

O número de internações e mortes foi reduzido após a vacinação?

Sim, as internações foram reduzidas em cerca de 86% e o número de mortes diminuiu em 95%. Além disso, o número de hospitalizações e mortes na faixa etária superior aos 70 anos foi reduzido a zero após a semana epidemiológica 14 (meio de abril), quando 95% dos adultos de Serrana já estavam vacinados. 

Foram registradas apenas uma morte e uma internação nessa faixa etária, mas entre indivíduos não imunizados. Antes da conclusão da vacinação de toda a cidade, o número de registros do tipo chegou a cinco por semana nesse grupo populacional.

Toda a população aceitou ser vacinada?

Antes da realização da pesquisa em Serrana, o município precisou realizar um censo para ter o número exato de moradores por faixa etária, que mostrou uma população de 45.644 pessoas, das quais 28.830 têm 18 anos ou mais, grupo considerado público-alvo da pesquisa. Destes, 27.160 receberam as duas doses da Coronavac, o equivalente 95,7%, considerada uma alta adesão da população.

A pesquisa completa já foi publicada?

O Butantan divulgou apenas dados parciais e irá publicar artigo científico futuramente. Não é possível saber, portanto, quais foram os números exatos de infecções, hospitalizações e mortes em cada semana nem quantos idosos de mais de 70 anos foram vacinados e se a amostra tem a chamada significância estatística - quando ela é grande o suficiente para conclusões definitivas.

O que a pesquisa trouxe de novidade?

A pesquisa do Butantan mostrou que o controle da transmissão no município se deu quando 75% da população elegível estava vacinada, o que indica que esse é o percentual de imunizados que precisaríamos ter no País para atingir a imunidade de rebanho pela vacina e frear o vírus.

Os dados demonstram o efeito também indireto da campanha de vacinação em massa na proteção até dos não vacinados, como crianças e adolescentes.

A partir de quando a vacinação mostrou resultados positivos?

A pesquisa mostrou que o número de hospitalizações considerando todas as faixas etárias foi de 43 no período entre a aplicação das duas doses, caiu para 5 no período que que a população tinha recebido a segunda dose há menos de duas semanas e baixou para duas internações quando já havia se passado mais de 14 dias da segunda aplicação. Já o total de óbitos nos três períodos mencionados foi de 7, 1 e zero, respectivamente. Não houve detalhamento sobre as datas consideradas para cada análise.

A Coronavac se mostrou uma vacina segura?

Os dados do estudo em Serrana também reafirmaram a segurança da Coronavac. De acordo com informações do Hospital Estadual de Serrana, foram administradas 54.882 doses na população e registrados 67 eventos adversos graves, nenhum deles relacionado à vacinação.

O índice geral de eventos adversos foi de 4,4% da primeira dose, a maioria deles leves. Somente 0,02% dos vacinados tiveram registros de efeitos grau 3 ou superior, mas a maioria teve dor de cabeça ou muscular.

As doses de Serrana afetam o cronograma de vacinas do Brasil?

As 60 mil doses utilizadas na imunização foram separadas especialmente para a pesquisa e para o município e não interferem no Programa Nacional de Imunização (PNI). São vacinas de uso exclusivo do estudo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.